Vinagrete 19.09.11 – Pelouro europeu que Costa queria

Afinal o pelouro europeu atribuído a Elisa Ferreira é mesmo o que António Costa dizia querer (Coesão e reformas, ou seja, um pelouro financeiro determinante nas políticas territoriais), talvez para desgosto único de Paulo Rangel – que explicou no Público como era maus para o País ter um pelouro bom para o País.

Elisa Ferreira com António Costa, DN

No entanto, para o conseguir, teve de fazer avançar esta colaboradora do PS especializada em contas e na área Financeira, portuense mas cosmopolita (estava agora na administração do Banco de Portugal, depois de ter sido deputada europeia socialista longos anos, e de ser ministra de António Guterres). Curiosamente, saudada por todos os partidos, mesmo os de Oposição.

E Costa teve de deixar cair a sua opção assumidamente inicial do ex-ministro Pedro Marques, menos amado mesmo dentro do PS, com uma falta de jeito clara para a comunicação política (como se viu na campanha eleitoral), mas mesmo assim cabeça de lista do PS no Parlamento Europeu.

Se é verdade o que diz hoje Rui Tavares sobre a influência de Órban nesta nova Comissão, então sim, haverá razões para nos preocuparmos. Órban estaria melhor ao pé de Trump e de Bolsonaro do que na UE. De resto, sempre se dizem coisas, mas veremos se são realmente importantes.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s