Vinagrete 18.02.23 – Partidocracia parlamentar

Li algures que o nosso Parlamento contabiliza as faltas de deputados como votos efectivos, sempre alinhados com o voto do partido a que pertencem.

Votação na Assembleia da República, RTP

Esta partidocracia parlamentar, muito antidemocrática, contribui certamente para a impopularidade dos partidos políticos em Portugal – porque penso não estar em funções em nenhum outro país ocidental. Portanto, se um deputado prefere ausentar-se de uma determinada votação, com um intuito concreto, esse intuito deixa de poder ter significado. E, mais perverso ainda, do ponto de vista democrático, o Parlamento pode dar como aprovados diplomas que registam na Assembleia da República uma maioria de votos contrários.

Um colunista fazia recentemente votos para que o Presidente da República recusasse diplomas assim mal aprovados, vetando-os. Caso contrário, teremos de aderir a formações apelidadas de populistas para evitar esta partidocracia antidemocrática.

Pior que tudo, é reparar que nenhum partido se referiu publicamente ao assunto, nem para responder às denúncias entretanto feitas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s